Acho que vi por aqui!

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Sou uma péssima mãe... (recebi via mensagem)

Oie! Tudo bem? Demorei mais voltei!!!

No post de hoje, venho apoiar toda mãe que assim como eu, e como tantas outras, se dobra e desdobra para dar seu melhor no que se refere CUIDAR do PRÓPRIO filho.

O texto a seguir recebi de uma amiga, que recebeu de outra amiga e também recebeu de outra amiga; que fez chegar até mim, por mensagem (naquele aplicativo verdinho), portanto não sei a real origem dele; mas o que ele nos traz é de uma pura realidade (pelo menos na minha vida).

Sou uma péssima mãe...

"Eu sou uma mãe má" Porque deixo o meu filho com o tablet enquanto tomo um banho.
"Eu sou uma mãe má" porque uso a tv como ama para poder preparar a comida para minha família.
"Eu sou uma mãe má" Porque lhe dou meu celular para o meu filho para que ele fique tranquilo enquanto lhe troco a fralda.
"Eu sou uma mãe má" Porque, às vezes, a função de polvo não me funciona todos os dias.
"Eu sou uma mãe má" Porque, quando estou cansada coloco no youtube vídeos de músicas infantis para que meus filhos se distraiam.
"Eu sou uma mãe má" Porque há noites em que meus filhos dormem assistindo seus programas favoritos e não lendo contos.
Desculpa, mas eu sou uma mãe verdadeira, uma mãe que precisa de ajuda, uma mãe que tem o direito de ir ao banheiro sozinha pelo menos uma vez ao dia.. Deixemos de apontar, vamos parar de nos julgar. Precisamos de mais apoio, mais amor, mais compreensão.
Que tal começarmos a partir de hoje?
Vamos parar de apontar e compreendamos-nos mais.

Autora: M. Isabel Andrade

Agora me diz se você não faz pelo menos uma dessas coisas citadas nesse belo e realista texto?

Eu pelo menos já fiz todas, não todas no mesmo dia, nem com a mesma frequência... Mas sim, também sou uma péssima mãe por tudo isso e mais um pouco.

Há quem aponte o dedo à pobre e humana mãe, seja pelo jeito como educa, seja pelo jeito como cuida da casa; sim, neste exato momento devem haver dezenas de dedinhos apontados em minha direção. MAS NEM LIGO! Sabe porque? Só eu sei da rotina de minha casa, só eu sei das nossas noites mal dormidas e seguidas de uma energia inexplicável no meu bebê; e o mais importante de tudo O FILHO É MEU, e eu sei das necessidades diárias dele.

Cada criança é única e somente a mãe e/ou pai (sejam de sangue ou de coração - pai e mãe é que cuida e dá  amor), sabe dar assistência ao seu filho.

É claro que devemos estar abertos a conselhos, pois, alguns realmente são dados de coração e serão de grande valor, já outros nem tanto ou nenhum... Saiba filtrar o que você escuta e lembre-se; nem todos querem te ajudar, algumas pessoas tem prazer em dar pitaco e cuidar da vida do outro.

Sei também que as vezes é difícil não dar ouvidos à tudo que nos cerca, em alguns momentos você vai até acreditar que não está fazendo um bom "trabalho", mas se seu filho está se desenvolvendo (no seu próprio tempo), com sorriso no rostinho, e cercado de amor, não tenha dúvidas do que faz. Mas nada te impede de num momento de dificuldade (por estresse, sobrecarga de serviço, ou algum outro problema) pedir um HELP pra alguém de sua confiança; SÓ VOCÊ SABE DE SEUS LIMITES COMO PESSOA E MÃE; não se sinta frustrada por isso. Dê o melhor de si com muito amor e verá que está no caminho certo.

Hoje vou ficando por aqui...
Deixo à você meu abraço e meu apoio como MÃE! E à autora do texto M. Isabel Andrade, deixo meu muito obrigada pelas palavras que descrevem muitas de nós.

Obrigada por ter passado por aqui, e até o próximo post!


Nenhum comentário:

Postar um comentário