Acho que vi por aqui!

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Pós-parto em casa! (parte 2)

Oie!!! Tudo bem com você? Espero que sim!

Ontem foi dia de vacina de 1 ano do meu bebê, então ficou um pouco complicado escrever... Mas vamos lá!!!

Como disse anteriormente, hoje vamos conversar um pouquinho sobre o que é a cólica no recém-nascido.

Aqui em casa o Bryan, deu um trabalhão com as cólicas... Desde a saída do hospital elas resolveram aparecer e nos acompanharam até os  6 meses; nesse meio tempo passamos com alguns pediatras que nos davam o mesmo diagnóstico e medicação; sempre diziam que era cólica e que era normal em bebês, e o medicamento era o de sempre - Simeticona - e voltávamos nós pra casa com um bebê irritado, chorão, e que não largava o peito (para meu desespero ele não pegou chupeta).
Nossas madrugadas eram muito longas e cansativas, mas passou. Sempre passa.



Cólica em recém-nascidos

O que é cólica: A cólica é dor caracterizada pela dor que ocorre em órgãos ocos; como o útero, rins, intestino; que pode ter como causa, o movimento peristáltico (contração do órgão) ou até mesmo acúmulo de gases.

Pois bem, nos bebês a cólica pode se dar pelo acúmulo de gases propriamente dito, ou pelo fato de ser um órgão imaturo; ou seja, o aparelho digestivo dos bebês demoram a se acostumar com a nova alimentação, e com isso ocorrem as dores por conta da nova movimentação para digerir e também na formação do cocô que resulta na formação dos TERRÍVEIS gases, que causam inchaço e incômodo ao pequenino.

Como saber se seu bebê está com cólica?

Bebês acometidos pela cólica, costumam manifestar um choro inconsolável, estridente, diferente do chorinho de fome ou fralda suja que você já está acostumado a ouvir; esse choro vem acompanhado de perninhas encolhidas, corpinho que se curva para trás, e um semblante que mistura dor e força deixando o bebê com o rostinho vermelho. É duro ver seu bebezinho nessa situação, mas as crises de cólicas podem ser curtas, ou durar até mais de 3 horas, e costumam aparecer em torno do fim de tarde e madrugada.

Se seu bebê apresenta sesses sintomas, e mama fórmula, tente experimentar outra, pode ser que ele não esteja se adaptando a essa marca ou também a mamadeira. Se está mamando no peito, vale observar a alimentação da mamãe, e verificar a pega do bebê na mama, se ficar alguma brecha entre a boca do bebê e a mama pode estar entrando mais ar do que o normal, nesse caso você pode procurar apoio na maternidade onde nasceu seu filhote, ou em bancos de leite, eles costumam orientar sobre a melhor maneira de posicionar o bebê na hora de mamar.

Lembrete:
Quando o bebê chora, ele engole ar ⇨ ar no estômago = cólica
Durante a mamada o bebê também engole ar ⇨ ar no estômago = cólica; por isso, nesse caso, logo após a mamada, coloque o bebê para arrotar para evitar o desconforto.

DICA PARA ALIVIAR CÓLICAS EM BEBÊ:

Além da medicação que o pediatra orientar; existe uma massagem que é tiro e queda para acalmar os picos de cólicas:

  • Com as mãos aquecidas, coloque uma pequena quantidade de óleo entre elas e friccione até que fiquem o mais quentinho possível (recomendo que seja um específico para bebês para que não cause reações alérgicas), com um leve pressão, faça movimentos circulares e em sentido horário (é nesse sentido que o intestino funciona) ao redor do umbigo. Essa massagem ajuda a relaxar a tensão que a cólica causa no abdome do bebê.
Técnica da ginastica com as peninhas:
  • Com o bebê deitado de barriga para cima, dobre as perninhas dele (a) como se fizesse movimentos de agachamento, esticando e dobrando, você pode alternar esse movimento com outro movimento que se assemelha ao pedalar de bicicleta, onde você dobra uma perninha e encolhe a outra, revezando o movimento entre elas. Esses movimentos auxiliam na eliminação dos gases do bebê.
Depois que o Bryan alcançou os 3 meses de vida, resolvemos tentar outras coisas que pudessem ajudar... Demos o bendito chá de Erva-doce (sem açúcar tadinho), e confesso que com ele não ajudou não, e ainda levei um susto quando dei de louca e questionei o pediatra se poderíamos dar o chá para nosso bebê, e ele disse que não.

Uma das pediatras (do pronto atendimento) em uma das crises de cólicas que passamos citou um tal de Colikids, e corremos lá pra comprar (achei um pouco caro pra apenas 5 ml); ele é nada mais, nada menos, que o Lactobacilo Reuteri, e serve para popular e formar a flora intestinal do bebê. Com a flora intestinal funcionando direitinho, o intestino absorve melhor os nutrientes e vitaminas a que ele é exposto, ocorre um aumento da imunidade (porque esses lactobacilos eliminam as bactérias ruins que podem chegar ao intestino), além de que, com a flora regulada existe uma redução de formação de gases. Conheci algumas mães que recomendaram o uso do Colikids e que realmente funcionou com seus filhotes; mas aqui em casa usamos por cerca de 2 meses e não vimos uma melhora significativa; mas vale a pena pedir uma orientação sobre ele para seu pediatra de confiança, afinal, nenhum bebê é igual ao outro.

Mas antes de tentar qualquer medida procure um médico para avaliar seu bebê, pode não ser nada, mas pode ser algo a se preocupar como por exemplo uma intolerância a lactose... E acima de tudo, nos momentos de crise de cólicas, acalente seu bebê, dê o peito (se estiver amamentando, se não, uma chupeta vai ajudar bastante) pois nesse momento ele se sente protegido e se acalma, além de que, o ato de sugar que o bebê faz também o relaxar; tornando o momento da cólica menos insuportável para seu bebê.

Sim, aqui em casa usamos de todas essas técnicas que citei, e ainda assim o Bryan sofreu com as cólicas, mas percebemos que quando deixávamos de fazer alguma coisa que poderia ajudar, as cólicas vinham com força total; já no caso contrário, as cólicas vinham com menos força... 

Mesmo que sua alimentação seja 100% natural, que evite certos alimentos, e que você aplique todos cuidados possíveis no mundo; pode ser que ainda assim seu bebê tenha cólicas, portanto, NÃO SE CULPE. Existem diversos estudos realizados para diagnosticar a real causa das cólicas nos bebês, e até agora nenhuma conclusão específica foi encontrada, o que encontram são apenas indícios do que pode ser a causa.



Espero que esse post tenha ajudado pelo menos um pouquinho, e pra você que ainda não está com seu bebê ficam algumas dicas pra quando ele chegar!
É tanta coisa pra contar pra você, no próximo post ainda quero falar sobre curativos do umbigo e corte da cesária tá!

Ah! Deixe um oi aqui nos comentários 

Beijos e até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário